sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Fazendo investimento em Brasnorte

Dorjival Silva


Não quero me comparar com quem pode mais do que eu. Mas estou fazendo a minha parte. O que posso. 


Em abril do ano passado fundei uma pequena empresa de comunicação (jornalGazeta do Noroeste MT para atender a região, com escritório atuante em Brasnorte.

Agora estou investindo na abertura de uma IMOBILIÁRIA também para atender essa grande região de Mato Grosso, e novamente com escritório em Brasnorte.

Até final de 2014, vamos instalar também em Brasnorte um PÓLO DE EDUCAÇÃO à distância - com cursos de graduação e pós-graduação. 

Teremos o Instituto de Educação e Cultura de Brasnorte (IECB)

Quero aqui agradecer a todos que estão entendendo quais são nossas reais intensões para com este importante município Mato-grossense. 

Estamos querendo COLABORAR. E muito mais: viver condignamente com a família numa cidade com abertura e incentivos para instalação de novas empresas e geração de emprego e renda para todos. Especialmente, para a juventude.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Brasnorte na mídia de forma negativa

http://www.rdnews.com.br/municipios/ex-prefeito-superfatura-onibus-em-148-e-causa-prejuizo-de-r-1-mi/51553

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Lei que pune empresas envolvidas com corrupção entra em vigor

Cento e oitenta dias após ser sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, a lei federal que estabelece punições à empresas e pessoas jurídicas cujos empregados ou representantes corrompam agentes públicos ou fraudem licitações vai entrar em vigor nesta quarta-feira (29). A lei foi aprovada pelo Congresso Nacional em resposta aos protestos populares que, em junho de 2013, tomaram as ruas de todo o país exigindo, entre outras coisas, o fim da corrupção.

Publicada no Diário Oficial da União de 2 de agosto de 2013, a chamada Lei Anticorrupção Empresarial (Lei nº 12.846 ) estabelece que empresas, fundações e associações passarão a responder civil e administrativamente sempre que a ação de um empregado ou representante causar prejuízos ao patrimônio público ou infringir princípios da administração pública ou compromissos internacionais assumidos pelo Brasil. É a chamada responsabilização objetiva, prevista nas esferas civil e administrativa.

A lei prevê a aplicação de multas às empresas que forem condenadas. Os valores podem variar de 0,1% a 20% do faturamento bruto da companhia. Não sendo possível fixar a sanção com base nesse critério, o valor poderá ir de R$ 6 mil a R$ 60 milhões – pena que não exclui a obrigação da empresa reparar integralmente o prejuízo causado aos cofres públicos. A decisão condenatória deverá ser publicada em veículos de comunicação de grande circulação, dando publicidade ao fato às custas da própria condenada. O nome da empresa ainda será inscrito no Cadastro Nacional de Empresas Punidas (Cnep), criado por meio da lei.


CÂMARA FEDERAL: Em MT, novatos terão mais chances de se eleger nas eleições 2014


Dos oito deputados federais eleitos no pleito passado, um morreu, um renunciou, um é ‘ficha suja’, um deve se aposentar e outro, concorrer ao Senado

A eleição de 2014 será marcada pela maior renovação da bancada mato-grossense na Câmara Federal em 20 anos. Desde 1994, o índice de candidatos eleitos em um pleito e reeleitos quatro anos depois foi de, no mínimo, 50%. Na eleição passada, chegou a 75%. 

Este ano, dos oito deputados escolhidos pela população em 2010, apenas três já anunciaram que vão disputar a reeleição em outubro: Nilson Leitão (PSDB), Valtenir Pereira (Pros) e Carlos Bezerra (PMDB). Mesmo que todos os três saiam vitoriosos das urnas, o índice de reeleitos será de apenas 37,5%, o menor das últimas duas décadas. 

Dos outros cinco eleitos em 2010, um morreu (Homero Pereira), um renunciou (Pedro Henry), um será candidato ao Senado (Wellington Fagundes), um foi condenado pela lei da Ficha Limpa (Eliene Lima) e um anunciou que não quer ser candidato (Júlio Campos). 

Os números consultados pela reportagem não levam em conta casos em que um deputado suplente assumiu o cargo deixado por outro e concorreu à reeleição no pleito seguinte. Um exemplo atual disso é o do deputado federal Ságuas Moraes (PT). 

Ele passou a ocupar uma vaga na Câmara devido à aposentadoria seguida do falecimento de Homero Pereira, em outubro do ano passado. 

Em 1990, dos oito deputados federais eleitos por Mato Grosso, apenas dois, ou seja, 25%, se reelegeu em 1994. Foram eles: Wellington Fagundes, que à época era filiado ao PL e garantiu a vaga com 30.023 votos, e Manoel Antônio Rodrigues Palma, do PTB, com 26.490 votos. 

Já da eleição de 1994, quatro, ou 50%, se reelegeram em 1998: Murilo Domingos, Wellington Fagundes, Teté Bezerra e Antônio Joaquim. 

No ano de 1998, dos oito eleitos, novamente, metade se reelegeu em 2002, sendo eles Celcita Pinheiro, pelo PFL; Wellington Fagundes, ainda no PL; Pedro Henry, pelo PPB, e Wilson Santos, então já filiado ao PSDB. 

Do mesmo modo, em 2006, quatro deputados que assumiram em 2002 acabaram se mantendo nos cargos: Wellington Fagundes (PL), com 78.215 votos; Pedro Henry (PP), com 73.312; Carlos Abicalil (PT), com 128.851; e Thelma de Oliveira (PSDB), com 76.770. 

Em 2010 houve recorde de reeleições. Dos oito que assumiram quatro anos antes, seis, isto é, 75% do total, tiveram seus mandatos renovados naquele ano: Wellington Fagundes, Homero Pereira, Pedro Henry, Carlos Bezerra, Valtenir Pereira e Eliene Lima. 

Conforme os dados, o índice de reeleições aumentou com o passar dos anos. Foram de 25% em 1994 para 75% nas últimas eleições gerais, em 2010. O processo eleitoral deste ano, portanto, pelo menos no que diz respeito à Câmara Federal, trará novas caras aos representantes de Mato Grosso em Brasília. 

Até o momento, mesmo que preliminarmente, nos bastidores, alguns nomes despontam como possíveis candidatos a deputado federal em outubro: o ex-vereador por Cuiabá Lúdio Cabral (PT) e o advogado e empresário da região do Araguaia, Paulo Lacerda (PTB). 


As convenções partidárias, quando as legendas definem quem serão os candidatos a cargos públicos e quais coligações serão formadas, estarão autorizadas para ocorrer de 10 a 30 de junho, conforme previsto no calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  Diário de Cuiabá

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

BBB dos políticos, já!


Temos o melhor congresso que o dinheiro pode comprar
 A cantora e ativista Rita Lee teve uma daquelas ideias brilhantes, dignas do seu gênio criativo.

Reclamando da inutilidade de programas como o Big Brother, ela  deu a seguinte sugestão:

- Colocar todos os pré-candidatos à presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados.

Toda semana o público vota e elimina um.

No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país.

Além de acabar com a roubalheira, com o enfadonho, com o desrespeito ao contribuinte e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos mais ou menos a fundo.

Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa "GLOBO" receberia e ninguém mais precisará corromper empreiteiras ou empresas de lixo, empresas de pequeno e médio porte,microempresários,o mercado em geral sob a alegação de cobrir o 'fundo de campanha'.

A ideia não é incrivelmente boa?

domingo, 26 de janeiro de 2014

Picaretagem no Araguaia: Pela segunda vez, governador de MT “inaugura” hospital de papel.

Com alarde de quem faz alguma coisa, o governador Silval Barbosa anuncia o lançamento do edital de licitação do hospital regional de Porto Alegre do Norte, distante 1.119 km de Cuiabá, pela segunda vez, conforme o leitor do Prosa soube na semana passada em “O reverso de Midas e seu Sileno de meia-tijela”.
O cronograma do “presente” dado pelo governador ao município começou em 2012, quando várias cidades se reuniram em audiência pública e decidiram pedir um hospital regional. Um ano depois, em 2013, Silval foi até a cidade e assinou a autorização para a licitação. Na semana passada, nove meses depois, o falastrão foi lançar o edital.
Enquanto o inapto faz politicagem e inaugura assinaturas e papeis, a população continua se arriscando nas estradas em busca de atendimento, muitas vezes no estado vizinho de Tocantins. Situação humilhante para qualquer um.
Repare a sequencia de notícias:
2012: “O prefeito de Porto Alegre do Norte, Edi Scorsin, destacou na audiência a lentidão com que são tocados os processos para a construção do hospital regional do Norte Araguaia. O prefeito fez a leitura do oficio que será encaminhado ao governador Silval Barbosa, cobrando uma posição sobre a construção do hospital, cuja pedra fundamental foi lançada há um ano, durante a 3ª Dinâmica.” – Notícia divulgada em 2012. Detalhe: A 3ª Dinâmica foi em 2011 e o terreno foi doado por um empresário da região.
hospitalregionalPAN_2012
2013:
No dia 27 de abril a Secom publica um vídeo de Silval e comitiva, ‘lançando’ o hospital regional. Assista abaixo o trecho ou a íntegra aqui.
No dia 29 de abril a Secom divulga áudio com o título “Silval presenteia Porto Alegre do Norte com Hospital” – Ouça aqui.
2014: Com o glorioso título “Hospital Regional de Porto Alegre do Norte vai atender municípios do Araguaia”, a Secom mandou release e todos os veículos de comunicação bovinamente publicaram, foi divulgado o grande feito de Silval em viagem ao Araguaia.
secom-hospitalregional_PAN
Picaretagem ou não?
Adriana Vandoni

Prefeituras devem priorizar investimentos nos esportes para a juventude


Jornalista Dorjival Silva é a favor de mais investimentos esportivos
nos municípios do interior
O esporte deveria ser tratado como um instrumento necessário para promover o lazer e ocupar o tempo das crianças e adolescentes, principalmente nos pequenos municípios. Era para ser obrigatório o investimento de parte das receitas das prefeituras nessa área primordial para a juventude.

É inadmissível que as cidades tenham tantas prioridades e a parte esportiva fique sempre em terceiro, quarto ou quinto plano como se não tivesse importância alguma para a população.

Está mais do que provado que investir em esporte traz benefícios significativos tanto na área social quanto na saúde das pessoas. Além de promover a interação e o entretenimento entre os seus participantes possibilitando também a integração da sociedade nos eventos esportivos como de futebol por ser o mais procurado.

É inadmissível que as autoridades dos pequenos municípios não se interessem em ter um campo de futebol digno com gramado para que se formem equipes na cidade que possam integrar os jovens, dando uma opção de lazer nos finais de semana e de ocupação durante a semana com os treinamentos. Além disso, o município deveria ter um profissional de educação física só para incentivar e ensinar as crianças e adolescentes a desenvolver uma atividade física que gere satisfação e ocupação a cada um.

Uma prova que as pessoas gostam de esporte é quando vemos as cidades realizando campeonatos nos quais os campos e quadras lotam de admiradores para assistir as partidas e prestigiar o evento. Por isso, é que não se pode mais deixar de se fazer o mínimo nessa área em virtude de deixar a juventude sem ter o que fazer, aumentando a probabilidade de desvirtuamento de muitos em função do descaso dos poderes públicos.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Dorjival Silva aborda em sua coluna semanal assuntos de grande relevância da atualidade

Ano muito intenso

Para muitos brasileiros o ano só se inicia após o carnaval. É o que dizem. Mas, pelo sim e pelo não, o fato é que este ano será atípico para todos nós. Além do carnaval teremos pela frente a Copa do Mundo e Eleições. Três eventos que fazem o chão tremer. Sem desprezar o Carnaval, enquanto evento cultural, e a Copa, maior evento esportivo do planeta, nossa torcida é para que pelo menos nas eleições o povo mato-grossense possa sair vitorioso. Precisamos pensar bem no tamanho de nossa responsabilidade ao escolher quem irá governar o destino de nosso estado a partir de 1º de janeiro de 2015.

Questão de Inteligência
Os moradores da região Noroeste de Mato Grosso não poderão mais desperdiçar seus votos como fizeram até as eleições passadas. Votaram em candidatos de outras áreas do Estado sob promessas que seriam atendidos em suas lutas e reivindicações futuras. Sofreram decepção total. Os eleitos, como de praxi, despejaram seus investimentos em suas regiões, deixando a nossa em situação deplorável.

Curso de Medicina
Há anos venho compartilhando com a ideia de que uma extensão da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) seja instalada na região noroeste de Mato Grosso. Com isso, seria bem mais fácil para ser instalado na região, o curso de Medicina, por exemplo. A instalação dessa Faculdade nesse composto de municípios do interior deve ser vista como assunto a ser tratado em âmbito federal. Daí a importância de elegermos lideranças políticas comprometidas com esse tema nas eleições deste ano.

Segurança Pública
A região noroeste de Mato Grosso localiza-se a pouco mais de 200 km da fronteira com a Bolívia, situação que permanentemente tem deixado nossas autoridades e a população apreensivas. Nessa faixa de fronteira o tráfico de entorpecentes e armamentos tem sido pesado. Para combater isso como se deve, precisamos atrair para a região uma Delegacia ou Posto da Polícia Federal. Esse assunto não pode mais ser lembrado apenas em épocas de eleições. É questão de prioridade.

Agricultura familiar
Tem sido bem falado nos últimos tempos sobre a importância de se investir mais na expansão da agricultura familiar. Mas, por falta de apoio político, pouco se tem feito pelos pequenos agricultores, chacareiros, sitiantes, assentados, etc,. Com políticas públicas oriundas do governo federal para esse importante setor podemos mudar a realidade sócio-econômica de muitas famílias. Investir na agricultura familiar é uma questão de prioridade.


A questão da terra
Alguém precisa pelo menos tentar fazer alguma coisa para barrar essa onda de invasões às propriedades rurais em nosso estado e pelo País afora. Antigamente, grupos ditos sociais, invadiam terras alheias sob o pretexto de serem improdutivas. As ações comportamentais desses grupos mudaram muito nos últimos anos. Temos visto até fazendas produtivas sendo atacadas aqui bem perto da gente. Sem ter a quem recorrer para se resguardar de eventuais invasões e prejuízos proprietários têm vivido sob o medo e a insegurança em suas localidades.

Caos nas rodovias do Noroeste
Quem são os deputados estadual e o federal que “brigam” por constantes melhorias das rodovias que cortam o noroeste de Mato Grosso? Resposta: não temos um sequer que levante a voz em nosso favor. O resultado dessa falta de atenção com nossa população é o que já conhecemos. Estradas estaduais e federais completamente desestruturadas, nos colocando permanentemente sob riscos de morte. E isso não pode continuar assim, meus amigos. Precisamos ter alguém que fale por nós. Não aceitamos mais o caos em nossas rodovias.

Pedágio indígena
Assisto com preocupação o silêncio e a passividade da população regional em relação à ilegal cobrança de pedágio em algumas de nossas rodovias por indígenas. Ninguém abre a boca para falar sobre o indigesto assunto. O abuso, do nosso ponto de vista, já dura 17 anos na rodovia 235, trecho que liga Campo Novo do Parecis a Sapezal sem que ninguém tenha se levantado contrário. Vocês não acham que essa aberração já passou da hora de se acabar?

Material coletivo é um abuso

Os pais de alunos devem ficar atentos se as escolas privadas estão impondo material coletivo, como forma de faturar mais. A Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON) orienta para, caso de abuso, ser feita a denúncia ao Procon local. Os estabelecimentos que forem pegos explorando o bolso dos pais de alunos podem sofrer multa com valores entre R$ 400 e R$ 6 milhões.

COLUNA EM OFF - Publicada semanalmente no jornal Gazeta do Noroeste - MT.
DATA DA PUBLICAÇÃO: 24 a 31 de janeiro de 2014.
AUTOR: Dorjival Silva
FONTES: Todas as imagens foram baixadas do Google. 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O pedágio cobrado por indígenas é ilegal mas a população não faz nada para coibi-lo


Manifesto contrário a essa aberração do governo Dilma

Dorjival Silva

Para coibir manifestações na Copa, o Governo se precipitou e já aprova um Regulamento pra "uso" das forças Armadas em Manifestações Sociais.

Trocando em miúdos: O povo não poderá usufruir do seu direito Constitucional à liberdade de expressão e à livre manifestação.

Se "ousar", sofrerá a repressão até das Forças Armadas  que os comunistas, no poder, querem banalizar (e isso já estão fazendo) e utilizar como uma força policial comum.


NOTA: Manifesto contrário a essa aberração do governo Dilma.

Caos nas rodovias de Mato Grosso


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Precisamos de lideranças políticas na região noroeste de Mato Grosso

Dorjival Silva

Rica na produção de grãos e gado de corte, com áreas expansivas também para exploração do turismo em suas diversas modalidades, terras abundantes, água, florestas, minas de ouro e diamantes, de gente boa e trabalhadora, a região noroeste de Mato Grosso vem sofrendo amargamente por não ter sequer uma liderança política que fale e faça por ela nos cenários estadual e nacional.

A região apesar de rica é ao mesmo tempo pobre, uma área órfã, abandonada e esquecida das políticas públicas oriundas dos governos estadual e federal. Se temos soja e carne bovina sobrando, temos uma saúde pública debilitada com postos de saúde funcionando precariamente, sem as especialidades médicas tão importantes paras as pessoas mais pobres.

Temos uma agricultura em pleno desenvolvimento. Uma super agricultura que produz sem medidas para exportar e gerar receitas positivas para o País. Em contrapartida, não temos rodovias para escoamento da produção e sequer para um trânsito digno dos moradores da região.

As cidades crescem cada vez mais. Algumas lutando para se tornar minimamente dependente dos centros mais avançados. Cresce o comércio, valoriza-se o mercado imobiliário, chegam as pequenas e médias indústrias para instalarem laticínios, por exemplo, a educação particular avança, etc; todavia, muitas coisas esbarram na falta de apoio político. De incentivos fiscais e tantos outros benefícios que sabemos são facultados pelo Estado.

Os prefeitos, comumente não têm o habito de atuar politicamente em bloco em favor da região. E assim, ficam dispersos cada um em seu quadrado esperando pela boa vontade de um deputado aqui e outro acolá que se disponha a fazer uma emenda parlamentar para beneficiar seus municípios.

É por isso e muitos outros fatores que entendo que a região noroeste de Mato Grosso dará saltos muito mais altos rumo a um crescimento uniforme quando tiver seu deputado estadual e federal. Unidos a essas lideranças, os municípios poderão contar com porta-vozes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. As oportunidades serão outras para a região.

Cidadão e cidadã precisam pensar nisso. As regiões que têm representantes nas esferas estadual e federal avançam muito mais rapidamente em seus vários setores e direções.


O Noroeste de Mato Grosso vem sendo penalizado da forma como se encontra porque não tem quem fale e faça por ele lá na fonte do Poder. Mas, em 2014, se quisermos, poderemos mudar essa situação. Nosso VOTO fará toda a diferença! Pense nisso meus amigos e amigas!

Parabéns a todos os farmacêuticos neste 20 de janeiro


20 de janeiro: Dia do Farmacêutico 


Nossos parabéns a todos os amigos farmacêuticos do Mato Grosso pelo seu Dia. Vocês compõem uma das mais importantes classes de profissionais a serviço da população na atualidade. Por isso, e muito mais, contam com minha admiração.



Dorjival Silva

Escola Atrativa de Brasnorte ainda sem data de inauguração

Dorjival Silva

A Escola Atrativa ou Modelo, como chamam, que vem a passos de tartaruga sendo construída com recursos do governo federal, estadual e municipal em Brasnorte não está com cara de quem passará a funcionar em 2014. Ainda tem muita coisa a fazer. Para se ter uma ideia nem uma pincelada de tinta foi aplicada até agora. Mas não deveria estar desse jeito. É lamentável.

Projeto de Ferrovia que cortaria Brasnorte precisa ter continuidade



Dorjival Silva

Em 2010, muito se badalou sobre uma ferrovia que deveria ser construída, e cortaria o município de Brasnorte. A responsável pelo projeto seria a VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., empresa vinculada ao Ministério dos Transportes e detentora da concessão da Ferrovia Norte-Sul. Quatro anos se foram e o assunto parece que foi para os empoeirados arquivos.

A obra que poderia trazer grande desenvolvimento para Brasnorte, escoando a safra agrícola da região, pelo visto foi mais um daqueles projetos natimortos.

Todavia, em nossa opinião, o assunto precisa ser novamente aquecido. Como presidente do PDT neste município, estou pronto a colaborar para que esse importante projeto tenha continuidade.


É hora das autoridades locais e regionais se movimentarem e cobrarem novamente o assunto junto aos competentes. Assim penso.

Brasnorte precisa cobrar conclusão das obras do FRIGORÍFICO MUNICIPAL

Frigorífico de Brasnorte: se arrastando a sete anos


Faltam menos de SEIS MESES para acabar o prazo solicitado pelos “proprietários” para a retomada da obra.

Um ano se passou desde que eles deram essa garantia às autoridades políticas do município e em absoluto, até o presente, não cumpriram nada.

A sociedade não pode aceitar tamanho descaso e humilhação para com o município.

Vamos nos manifestar e botar a boca no trombone cobrando a finalização da obra e início de sua operacionalização.

EM TEMPO: prefeitura, câmara de vereadores, partidos políticos, clubes de serviços, Lions, Rotary, Maçonaria, Associação Comercial, igrejas, imprensa e até o Ministério Público Estadual são provocados a se manifestar sobre o tema, vez que interessa a coletividade.

Dorjival Silva
Presidente do PDT

MT - 358 está em estado deplorável

Dorjival Silva

Meus amigos, esse trecho, saída de Nova Olímpia, destino Barra do Bugres, tem pouco mais de 12 meses que foi todo feito por uma famosa empreiteira de nosso estado. Lembro os transtornos que passei tendo que viajar quase toda semana para essas cidades vizinhas a Tangará da Serra. Olha só a qualidade do material usado nessa rodovia.... Depois ainda colocam a culpa nas chuvas. Essa gente poderia tomar vergonha na cara, parando de culpar a natureza por seus serviços mal feitos. Isso é serviço porco mesmo. Admitem sem vergonhas! 

domingo, 19 de janeiro de 2014

Algumas coisas não andam e nem melhoram no Brasil


Dorjvial Silva

Toda vez que há uma rebelião ou ataques de bandidos causando terrorismo como queima de ônibus, mortes de rivais etc., abre-se um debate sobre a nossa segurança pública. Isso é em qualquer parte do Brasil. 

Já aconteceu no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Santa Catarina e agora é a vez do Maranhão. Essa é uma tônica que deve permanecer já que pouco está se fazendo para amenizar essas cenas de terror que tanto apavora e prejudica a população, principalmente a trabalhadora que tenta viver com honestidade e dignidade.

O grande problema é que estouram atos de todos os lados e as ações de nossas autoridades são sempre paliativas que nada resolvem, apenas deslocam o foco de um lugar para outro. Os bandidos sabem que têm força e que no país não existem leis que os punam, aí eles se aproveitam para manter um poder paralelo capaz de comandar enormes estruturas financeiras superando até o poderio das polícias.

Essa é uma realidade evidente, só não ver quem não quer. Outra coisa, nunca existirá moralidade num país em que suas leis protegem mais do que punem. E não se enganem porque os bandidos sabem exatamente o que fazem, amparados por uma justiça que praticamente não existe e as consequências recaem sobre as pessoas de bem. 

Não adianta fazer presídios se não combater na raiz. Essa é a verdade que todos sabem, principalmente quem pode fazer algo, mas não sei por que não agem. E assim as coisas não andam e nem melhoram no Brasil.

Dorjival Silva lança blog para discutir e apontar soluções para Mato Grosso

Jornalista Dorjival Silva
Alô Mato Grosso, Alô Brasil. 19 de janeiro de 2014. Estamos estreando nosso blog pessoal. Acompanhe nossas publicações diárias. Obrigado.