segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Precisamos de lideranças políticas na região noroeste de Mato Grosso

Dorjival Silva

Rica na produção de grãos e gado de corte, com áreas expansivas também para exploração do turismo em suas diversas modalidades, terras abundantes, água, florestas, minas de ouro e diamantes, de gente boa e trabalhadora, a região noroeste de Mato Grosso vem sofrendo amargamente por não ter sequer uma liderança política que fale e faça por ela nos cenários estadual e nacional.

A região apesar de rica é ao mesmo tempo pobre, uma área órfã, abandonada e esquecida das políticas públicas oriundas dos governos estadual e federal. Se temos soja e carne bovina sobrando, temos uma saúde pública debilitada com postos de saúde funcionando precariamente, sem as especialidades médicas tão importantes paras as pessoas mais pobres.

Temos uma agricultura em pleno desenvolvimento. Uma super agricultura que produz sem medidas para exportar e gerar receitas positivas para o País. Em contrapartida, não temos rodovias para escoamento da produção e sequer para um trânsito digno dos moradores da região.

As cidades crescem cada vez mais. Algumas lutando para se tornar minimamente dependente dos centros mais avançados. Cresce o comércio, valoriza-se o mercado imobiliário, chegam as pequenas e médias indústrias para instalarem laticínios, por exemplo, a educação particular avança, etc; todavia, muitas coisas esbarram na falta de apoio político. De incentivos fiscais e tantos outros benefícios que sabemos são facultados pelo Estado.

Os prefeitos, comumente não têm o habito de atuar politicamente em bloco em favor da região. E assim, ficam dispersos cada um em seu quadrado esperando pela boa vontade de um deputado aqui e outro acolá que se disponha a fazer uma emenda parlamentar para beneficiar seus municípios.

É por isso e muitos outros fatores que entendo que a região noroeste de Mato Grosso dará saltos muito mais altos rumo a um crescimento uniforme quando tiver seu deputado estadual e federal. Unidos a essas lideranças, os municípios poderão contar com porta-vozes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. As oportunidades serão outras para a região.

Cidadão e cidadã precisam pensar nisso. As regiões que têm representantes nas esferas estadual e federal avançam muito mais rapidamente em seus vários setores e direções.


O Noroeste de Mato Grosso vem sendo penalizado da forma como se encontra porque não tem quem fale e faça por ele lá na fonte do Poder. Mas, em 2014, se quisermos, poderemos mudar essa situação. Nosso VOTO fará toda a diferença! Pense nisso meus amigos e amigas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário