terça-feira, 25 de março de 2014

Coluna semanal de Dorjival Silva: "Ministério Público na causa do Frigorífico"

Ministério Público na causa do Frigorífico

O Ministério Público Estadual de Mato Grosso entrou na causa que envolve a não-conclusão das obras do frigorífico do município de Brasnorte. O promotor de Justiça da comarca, Daniel Mattioni, me disse na segunda-feira (17), que por esses próximos dias os representantes da empresa deverão estar em Brasnorte para firmar um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, sobre o assunto. No dia da assinatura do Termo, donos do frigorífico se comprometerão com o MPE, Prefeitura e Câmara de Vereadores, dentro de prazo acordado, a finalizar as obras e colocarem a empresa em funcionamento. Esse TAC já deveria ter sido assinado, porém, devido a divergências apontadas pelo MP em relação ao pleiteado pelos representantes do frigorífico, houve-se por bem dar-se mais uns dias ao assunto até que se adéque à vontade das partes. A população brasnortense agradece. 

Vias públicas detonadas
As vias públicas ainda não-pavimentadas de Brasnorte ficaram em situação deplorável depois das chuvas que receberam nos últimos meses. Até mesmo algumas artérias pavimentadas da área central ficaram comprometidas. Há muito serviço a ser feito a partir de agora com a chegada da estiagem.

Prejuízos na zona rural
Na zona rural do município a situação é ainda mais séria. Estradas vicinais foram parcialmente detonadas. Cabeceiras de pontes foram levadas pelas águas. Algumas pontes vieram abaixo. A situação se complicou a tal ponto que em algumas localidades o trânsito foi interrompido provisoriamente. Passado o período chuvoso, espera-se agora que o Município resolva também o problema das vicinais.

Obra enterrada. Até quando?
O promotor de justiça titular da comarca de Brasnorte, Daniel Mattioni, já obteve conhecimento parcial de um investimento milionário feito para canalizar água do Rio Cascavel para abastecer a cidade. A obra, apesar de ter consumido alguns milhões de reais, se encontra paralisada há anos. Estou pedindo ao Ministério Público Estadual para investigar esse assunto, vez que há verba pública no projeto.

Obras públicas atrasadas
Queria que o Ministério Público de Mato de Mato Grosso buscasse também reposta do governo estadual ou a quem de direito, quanto à morosidade na conclusão das obras da chamada Escola Atrativa/Modelo, localizada na área central da cidade, e de uma Escola de Educação Infantil localizada no bairro Renascer. Essas duas obras de grande importância para o município estão beirando três anos de atraso.

Cadê o Proncon?
Também tenho andado preocupado com a demora na instalação de uma unidade do PROCON no município de Brasnorte. Desde ano passado venho me referindo ao assunto na esperança que Prefeitura e Câmara de Vereadores se mobilizem em favor dos consumidores locais e lutem pela implantação dessa importante ferramenta cidadã. O consumidor, pelo fato de morar numa cidade interiorana, não quer dizer que deva ficar desprotegido.

Brasnorte no prejuízo
Gostaria muito de colaborar com o município de Brasnorte encampando campanhas midiáticas para atraírem moradores das áreas rurais próximas a Campo Novo do Parecis e Juína a consumir no comércio local. Preocupa-nos muito mais ainda o fato de muitos cidadãos de nossa cidade optarem por realizar suas compras mensais noutros municípios. Sei como trabalhar uma campanha para, aos poucos, reverter parte desse problema que tanto tem prejudicado o comércio local.

Município sem marketing
Como todos os municípios brasileiros, Brasnorte também tem problemas para serem sanados. Mas isso não impede que o município adote, mesmo de forma modesta, boas campanhas de marketing para divulgar inicialmente em nível de estado, suas muitas potencialidades. Se quisermos que nosso município cresça e se desenvolva economicamente precisamos vender, e vender bem, nossa imagem. Por que esse importante trabalho ainda não está sendo desenvolvido pelo governo municipal?

Município sem marketing II
Essa é uma das razões porque Juína, Campo Novo do Parecis, Tangará da Serra, etc, estão sempre atraindo os consumidores, por exemplo, de nossa cidade: esses municípios se divulgam. Precisamos vender, e vender bem, nossa imagem para nós mesmo, para a região e para o Estado. Tenho absoluta convicção que temos coisas muito mais robustas e acessíveis para Mato Grosso que os municípios citados acima. A questão está no fato de não termos ainda aberto um bom canal de comunicação com a região, Mato Grosso e o Brasil. O que Brasnorte está esperando para assim agir?


Nenhum comentário:

Postar um comentário