domingo, 16 de março de 2014

Lider dos mensaleiros, Dirceu, tem até pedólogo na cadeia, diz revista

Em foto veiculada por Veja, Dirceu aparece mais magro na biblioteca da penitenciária da Papuda
José Dirceu e seus companheiros de cela, Delúbio Soares e João Paulo Cunha, usufruem na cadeia de facilidades que os distinguem dos outros 10.326 presos da penitenciária da Papuda. Eles têm cardápio próprio, uma cela mais ampla e com vaso sanitário, flexibilidade no horário das visitas e liberdade para frequentar a biblioteca da cadeia.
O repórter Rodrigo Rangel passou as últimas semanas conversando com funcionários da Papuda. Relatou o que descobriu numa notícia veiculada na revista Veja. Eis alguns dos detalhes que distanciam os presos por corrupção do mensalão da realidade imposta aos demais detentos:
- Cela diferenciada: chefiado pelo governador petista Agnelo Queiroz, o governo do Distrito Federal se preparou para recepcionar os presos-companheiros. A cela dividida por Dirceu, Delúbio e João Paulo foi adapatada a partir de uma sala que era usada pela administração da penitenciária. É mais ampla e tem uma preciosidade. Nas celas convencionais, há uma latrina rente ao chão. A dos mensalerios está equipada com um vaso sanitário. Dentro da cela, informa Veja, já foram recolhidos restos de lanche do McDonald’s e produtos de uso pessoal não autorizados —perfumes importados, por exemplo.
- Podólogo: mesmo preso, Dirceu não abandonou alguns hábitos que cultivava fora da cadeia. Costuma requisitar os bons préstimos de um podólogo, como são chamados os especialistas em tratar de problemas nos pés. Dirceu é atendido.
- Cardápio: Para os presos comuns, a administração da Papuda serve marmitas produzidas por uma empresa prestadora de serviços alimentícios. Os mensaleiros dispõem de cardápio próprio. Suas refeições são preparadas por dois presos-taifeiros, num refeitório antes destinado a encarregados da vigilância. “Aqui já teve até picanha e peixada feitas exclusivamente para eles”, contou um dos servidores ouvidos pelo repórter.
- Biblioteca: Dirceu passa a maior tempo na biblioteca. Ali, mantém animados diálogos, especialmente com os outros dois mensaleiros petistas. De resto, o ex-chefão da Casa Civil de Lula lê vorazmente. Produz redações sobre o conteúdo dos livros. Com isso, assegura o desconto de alguns dias em sua pena de 7 anos e 11 meses de cadeia.
Dias atrás, Dirceu depôs, por videoconferência ao juiz Bruno Ribeiro, da Vara de Execuções penas do DF, negou que tivesse usado celular no presídio. Negou também o tratamento diferenciado. “Só quero cumprir minha pena como foi determinado”, disse. Neste domingo, o ex-homem forte da gestão Lula fará aniversário. Será que vai ter bolo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário