terça-feira, 8 de abril de 2014

Profissionais da rede municipal de educação cruzam os braços a partir do dia 14, em Brasnorte

Texto e imagens exclusivas
De Dorjival Silva



Profissionais da rede municipal de educação de Brasnorte entraram em greve pela implantação do piso salarial nacional da categoria no começo da noite desta terça-feira, dia 08 de abril. A decisão saiu de uma assembleia geral extraordinária que teve início às 16h30 no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Municipal de Brasnorte.

O evento, sob a organização do Sindicato, contou com presença da maioria dos servidores da educação, os vereadores Professor Genival, Roberto Preto, Alexandra Lima, Nilson Poliski e a imprensa escrita.

De acordo com o presidente do Sindicato, Daniel Ferreira Júnior, a paralisação geral terá início a partir da segunda-feira, dia 14, após o cumprimento do prazo de 72 horas corridas da decisão da assembleia.

Os profissionais da educação de Brasnorte deflagraram greve porque o executivo municipal não atendeu à cobrança feita pela categoria para implantar como determina a Lei o piso nacional salarial de R$ 1.697,00.

Pela proposta apresentada semana passada pelo Município, somente a partir de 2016, professores da rede municipal de ensino passariam a perceber o piso nacional para uma jornada de 30 horas, com 1/3 de hora atividade.

Aos demais servidores da educação, como técnico, apoio, motorista, etc, o executivo ofereceu um reajuste salarial de apenas 0,5% (meio por cento) a vigorar a partir do segundo semestre deste ano.

Sem acordo entre Sindicato e Município, foi deflagrado o movimento grevista por tempo indeterminado.  

DIFERENCIAL -  O diferencial da assembleia geral ocorrida no começo da noite desta terça-feira, dia 8, foi a participação dos educadores de duas aldeias indígenas do município de Brasnorte. Eles também vieram reforça o movimento pela busca da implantação do piso salarial nacional dos professores e protestar contra discurso das autoridades políticas do município que pretendem devolver a educação dos índios para o estado, sem consultá-los.  

VEJA AGORA COBERTURA FOTOGRÁFICA COMPLETA DA ASSEMBLEIA








































Nenhum comentário:

Postar um comentário