quarta-feira, 8 de outubro de 2014

“Falta de recursos prejudicou Lúdio e aliados”

Ao avaliar o resultado das eleições, o governador Silval Barbosa (PMDB) considerou positivo o desempenho do candidato da situação, Lúdio Cabral (PT), e apontou a falta de estrutura como um problema para o petista durante a campanha. O mesmo diagnóstico ele fez para os ex-secretários de sua gestão que saíram derrotados do pleito de 2014, como Francisco Faiad e Meraldo Sá, além de Francisco Vuolo, que disputou no grupo de Pedro Taques (PDT).

“Dentro das condições que o nosso candidato teve, o desempenho dele foi muito bom, perto de 500 mil votos. Esta foi uma disputa interessante, porque o senador já vinha há algum tempo fazendo campanha, era mais articulado, agregou pessoas que podiam doar, e campanha é estrutura. Lúdio não teve ajuda. Falei que não colocaria a máquina para qualquer um que fosse o candidato para não interferir e ao final foi uma campanha tranquila”, avaliou.

Sobre a disputa da proporcional, além dos ex-secretários terem ficado de fora, o PMDB reduziu a bancada e elegeu apenas três candidatos: Romoaldo Júnior, Baiano Filho e Silvano Amaral.
Para Silval, a candidatura para o Legislativo depende de dois fatores: liderança individual e condição estrutural, e eles não estiveram estrutura. Chegou a afirmar ainda que “se tivessem desviado dinheiro do governo teriam estrutura”.

“Os outros não tiveram condições de se mover por falta de condição financeira. Não houve má-fé de ninguém, mas não tiveram o desempenho que esperavam ter”.

Silval ainda analisou que o problema da falta de dinheiro também atingiu a campanha da candidata Janete Riva (PSD). “Viram o problema da campanha da Janete? Que pobreza”, comentou.

Sobre a disputa de segundo turno para presidente, Silval disse que sempre esteve à disposição e deverá colaborar com a campanha neste período para garantir a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário