quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Taques deseja aval para apoiar Aécio Neves em MT

O senador Pedro Taques (PDT) vai a Brasília nesta semana para pedir a liberação da cúpula de seu partido para anunciar formalmente apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) para presidente da República neste segundo turno. O partido de Taques faz parte da base de apoio de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). No Estado, a campanha de Taques ficou neutra no primeiro turno quanto ao apoio formal a uma candidatura.

Taques já falou com o presidenciável tucano por duas vezes nesta semana. Agora, o pedetista vai tentar convencer o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, a liberar a legenda no Estado para decidir qual caminho seguir. O posicionamento de Taques pró-Aécio não é novidade para a cúpula petista. Em 2010, quando foi candidato ao Senado Federal, Taques não teve o apoio de Dilma Rousseff, que naquele pleito manifestou apoio ao senador Blairo Maggi (PR) e ao ex-deputado Carlos Abicalil (PT).


Eleito, Taques manteve uma oposição de independência no Senado. Em alguns casos, votou com a bancada governista e em determinados momentos como oposicionista.

Mas, para o governo, o pedetista sempre foi visto como parlamentar de oposição. Na campanha deste ano, Taques preferiu a independência de sua coligação, enquanto isso a presidente Dilma manifestou apoio à campanha do ex-vereador Lúdio Cabral (PT) ao comando do Palácio Paiaguás.

Além de gravar material para a propaganda eleitoral na TV, a petista mandou uma tropa de ministros ao Estado para fazer campanha para o grupo situacionista. Ao ser eleito, Taques disse que Dilma tem lado em Mato Grosso e que não é o dele, em clara demonstração de ser favorável à candidatura de Aécio Neves. Nesta terça-feira (7) o governador eleito se reuniu com todos do seu grupo que foram eleitos no último domingo (5) para tratar justamente do apoio que deve ser anunciado nos próximos dias.

ENCONTRO – Dilma se reuniu nesta terça-feira com cinco governadores eleitos no último domingo. Taques não estava lista de convidados da petista.


GOVERNISTA – Apenas um partido da coligação não deve trabalhar pelo nome de Aécio para a presidência da República. O PP, do vice-governador eleito Carlos Fávaro, apoia a candidatura de reeleição da presidente Dilma. O megaempresário Eraí Maggi (PP) é um dos grandes incentivadores no Estado da campanha da petista. Neste segundo turno a família Maggi prometeu agir incansavelmente para que a petista vença a eleição no Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário